Dia Aberto sobre Endometriose – CMIN

No passado dia 15 de Outubro, teve lugar o Dia Aberto sobre Endometriose, uma iniciativa co-organizada pela MulherEndo e pelo Centro Materno-Infantil do Norte (CMIN) visando a divulgação de uma patologia que é ainda relativamente desconhecida junto do público em geral.

A sessão contou com cerca de 120 participantes e começou com o visionamento, em estreia no nosso país, do documentário “Endo What?”, produzido e realizado por Shannon Cohn. O filme, lançado mundialmente em Março deste ano e legendado em Português pela equipa da MulherEndo, contou com a colaboração de vários especialistas norte-americanos de renome e de portadoras de Endometriose e aborda questões como a origem, o diagnóstico e o tratamento da doença, a desconstrução de mitos que ainda subsistem, mesmo junto da comunidade médica, e a importância do contributo das próprias pacientes para viver de forma mais tranquila com esta doença crónica.

Seguidamente, assistiu-se a uma apresentação do Dr. Hélder Ferreira, médico ginecologista e coordenador da Unidade de Cirurgia Ginecológica Minimamente Invasiva do Centro Hospitalar do Porto (no qual o CMIN está integrado), que deu a conhecer o trabalho desenvolvido pela equipa multidisciplinar do CMIN que acompanha pacientes com Endometriose que chegam de todo o país.

Na segunda parte do evento, decorreu uma mesa-redonda, onde estiveram presentes, para além do Dr. Hélder Ferreira, os especialistas Dr. António Tomé (Ginecologia), Dr. Miguel Ramos (Urologia) e Dra. Cristina Maciel (Radiologia), bem como a Presidente da Direcção da MulherEndo, Susana Fonseca. Foi uma sessão bastante participativa, na qual todos os presentes no evento tiveram a oportunidade de colocar diversas questões directamente ao painel.

No encerramento desta iniciativa, a Presidente da Direção da MulherEndo destacou a importância desta ligação, cada vez mais profícua, entre instituições de saúde, profissionais de saúde e pacientes, apelando a estas últimas para que assumam um papel cada vez mais activo e informado, que poderá ser decisivo para uma mudança de mentalidades e de políticas públicas de saúde em Portugal no que concerne à Endometriose.

Gostaríamos de endereçar um agradecimento especial a todos os que estiveram presentes no evento e, muito particularmente, aos especialistas, por toda a disponibilidade demonstrada. Assim, torna-se mais fácil trilhar este caminho, que terá, necessariamente, de ser feito em conjunto.

Haverá mais iniciativas em breve, que serão divulgadas através dos meios habituais.