“Endo What?”

Ficou disponível em todo o Mundo, no dia 28 de Abril, o filme “Endo What?”, um documentário realizado e produzido por Shannon Cohn, que pretende ser uma lufada de ar fresco e quebrar o ciclo da desinformação sobre a Endometriose e a saúde reprodutiva.

Shannon Cohn vive com Endometriose há 20 anos. Este projeto é mais pessoal do que qualquer outro que já produziu. Ao verificar que desde o seu diagnóstico nada mudou em relação à má informação por parte dos profissionais de saúde e à ausência de pro-atividade das mulheres com a doença, realizou variadas pesquisas que tiveram como resultado este documentário. Cohn investigou várias campanhas de sucesso de movimentos de mudança social e estudos de campanhas de HIV e SIDA que conseguiram colocar pressão suficiente nos corpos médicos e não tiveram receio de provocar algum desconforto no poder político. Concluiu que a informação e a organização são os pontos fulcrais no sentido de desmistificar a Endometriose. As mulheres com Endometriose têm que se tornar especialistas na doença com acesso a todo o tipo de informação e organizarem-se corretamente através de associações e grupos que, da melhor forma, projectam a mensagem e fazem-se ouvir.

“Endo What?” é um filme que coloca o poder nas mãos das mulheres. Uma manifestação para uma mudança radical: diagnóstico e intervenção precoces, melhores opções de tratamento, médicos bem informados e legisladores motivados para lutarem connosco. Não existe só a necessidade de consciência que a doença existe mas também respostas às mulheres portadoras de endometriose. Neste documentário, são colocadas questões que nem nós sabíamos que queríamos perguntar.

Outro aspecto importante abordado no documentário, é o impacto financeiro da Endometriose nos pacientes e nos governos. A exigência de análise da qualidade de vida e de explicações referentes à disparidade de financiamento para investigação da doença e outros, é sublinhada constantemente ao longo do filme. “A endometriose coloca um peso monetário muito grande para a sociedade, anualmente, deixando de ser considerada uma doença de mulheres para ser encarada como uma doença social” afirma Heather Guidons, director do programa cirúrgico do Centro de Endometriose Care, em Atlanta.

Resumidamente, o objetivo de Cohn é difundir conhecimento, destruir mitos e pressionar na obtenção de respostas: quais as estratégias para apoiar as mulheres que vivem com Endometriose? E causas, tratamentos, curas? É preciso levantar a voz e dizer “Basta!” para a mudança acontecer!

Podem consultar o trailer “Endo What” através do site www.endowhat.com e adquirir o filme através do mesmo link ou doar o DVD para ser distribuído em escolas.

Referências:
http://europe.newsweek.com
http://www.theguardian.com
http://www.endowhat.com