Uma forma particular de endometriose é a adenomiose, que se caracteriza pela presença de glândulas endometriais e estroma no miométrio uterino e que pode ser focal ou difusa (1). É considerada uma patologia independente que leva a hemorragias anormais uterinas. É uma condição ainda muito associada a mulheres com mais de 40 anos de idade que apresentam dores e hemorragias menstruais abundantes e que viram o seu diagnóstico confirmado após uma histerectomia. No entanto, cada vez mais mulheres jovens surgem com este diagnóstico após investigação com ecografia endovaginal e queixas de dor, infertilidade e abortos. O diagnóstico de adenomiose mantém-se ainda assim dificultado por coexistir com outras patologias como a endometriose ou miomas uterinos (2).

(1) Setúbal, A., Maia, S., Lowenthal, C., & Sidiropoulou, Z. (2011). FDG-PET value in deep endometriosis. Gynecological Surgery, 8(3), 305-309. doi: 10.1007/s10397-010-0652-6.
(2) Vannuccini, S. & Petraglia, F. (2019). Recent advances in understanding and managing adenomyosis. F1000Research, 8, F1000 Faculty Rev-283, 1-10. doi: 10.12688/f1000research.17242.1